Em artigo de Otaniel Martins, a X por Y, uma plataforma de permuta digital, é citada no cenário estadual de startups como modelo de negócio original e diferenciado. Confira o artigo de opinião:

 

Sucesso com startup

 

Em um cenário de incertezas, uma ideia original para um modelo de negócios repetível e escalável, a baixos custos de manutenção, pode ser comparada a um oásis no deserto. Se isso der origem a uma empresa com chances de crescimento rápido, então eis que surge uma startup de sucesso. Mas como conseguir tal proeza? Inicialmente, é preciso definir qual público e mercado se deseja atingir: local, regional ou global. É claro que desenvolver um negócio focado no mercado local é bem mais fácil. Porém, é mais promissor ter em mente um plano de internacionalização. E isso está longe de ser missão impossível. Um exemplo: o Easy Taxi. Desde o seu lançamento, em 2012, a startup brasileira já captou R$ 145 milhões em investimentos. Atualmente, tem 200 mil taxistas cadastrados em 32 países onde atua. Segundo a empresa, o aplicativo tem 10 milhões de downloads e a meta é encerrar 2014 com atuação em 50 países.

 

Esse caso nos ajuda a entender outro quesito para alcançar êxito nesse tipo de negócio: a captação de investimentos. Vale a pena participar de programas nacionais e internacionais, buscar incubadoras e aceleradoras, recursos públicos ou fundos que, além de capital, trazem experiência e conhecimento aos empreendedores. Os investimentos são disponibilizados tanto para iniciantes quanto para veteranos.

 

Foi justamente assim que decolou o ContaAzul, empresa de tecnologia que oferece um conjunto de aplicativos online para gestão de pequenas empresas. Em 2011, seus empreendedores foram convidados a participar do programa de aceleração da 500Startups, uma incubadora dos Estados Unidos que também atua com investimentos. Hoje, o ContaAzul é utilizado por mais de 23 mil empresas, sendo que a meta é encerrar 2014 com 20 mil clientes pagantes. Recentemente, a Revista Forbes apontou a startup com uma das promessas brasileiras, possivelmente a primeira a valer $ 1 bilhão.

 

Mas não basta uma brilhante ideia para conquistar um investidor-anjo ou um lugar ao sol nas incubadoras. Antes de tudo, é preciso certificar-se de que o negócio está maduro para ser apresentado. São indesejáveis problemas como despreparo da equipe, baixo potencial de expansão e falta de previsão quanto ao retorno sobre o investimento. O fato é que, apesar de serem criativos, os brasileiros ainda enfrentam dificuldades para crescer nesse segmento. Os obstáculos vão desde a burocracia para abrir uma empresa até a carga tributária e a falta de regras claras para o aporte de investimentos-anjos. Entretanto, isso não deve ser motivo para desânimo, pois o mercado dispõe de consultorias capazes de dar suporte nesses aspectos, bem como entidades como o Sebrae, Endeavor e AJE Goiás, que oferecem apoio e orientação aos empreendedores. Esta última entidade é a realizadora da 3ª Startup Weekend Goiânia, que termina amanhã, no Sebrae Goiás.

 

Hoje, das 2.710 startups cadastradas na Associação Brasileira de Startups, 59 estão em Goiás, com destaque para a XporY.com. Com menos de um ano de atuação, a empresa goiana vem dobrando o faturamento mês a mês disponibilizando a permuta digital em sua plataforma. Tal resultado é um sinal de que, para ter êxito, é preciso ousadia e determinação. Ou seja, como bem disse Peter Drucker: “Para ter um negócio de sucesso, alguém, algum dia, teve que tomar uma atitude de coragem”.

 

Otaniel Martins é contador e sócio da auditoria e consultoria Grant Thornton Brasil.

Fonte: O Popular.